en-USpt-PT
Language
Search
× Search

Centro Histórico

Igreja do Salvador do Mundo

Igreja do Salvador do Mundo

A igreja e convento do Salvador foram fundados neste local no princípio do século XVII, numa parte do palácio dos Condes de Sortelha.

O convento foi em grande parte demolido em 1942, procedendo-se à abertura da Rua da Olivença e construção do edifício dos CTT. Subsistiu apenas a torre da Cerca Velha e o claustrim contíguo, adaptados a sede da Direcção Regional dos Monumentos do Sul. A igreja foi inaugurada em 1610 e tem no seu interior silhares de azulejo policromos, onde são particularmente curiosos os frontais de altar, do tipo indo-português, de cerca de 1650. Salienta-se também a talha dourada dos altares.

Igreja de São Tiago

Igreja de São Tiago

 

Extinta sede de paróquia e colegiada real, já existia em 1302, mas sofreu profundas reformas de arquitectura nos séculos XVI e XVII, subsistindo alguns elementos anteriores (primitivo presbitério e coroamento de ameias chanfradas manuelinas).

O seu exterior apresenta uma fachada de grossa alvenaria caiada de branco com portal singelo flanqueado por duas torres aparelhadas com frontão iluminado pela figura equestre de Santiago atacando os mouros; lateralmente, existe a estação da via sacra, de 1722.

O interior é constituído por uma ampla nave com pinturas murais e de tela, silhares de azulejos historiados nos alçados laterais da nave, atribuídos a Gabriel del Barco, e retábulo de talha dourada na capela-mor (século XVIII). 


Ermida de Nossa Senhora do Ó

Ermida de Nossa Senhora do Ó

A primitiva Porta de Avis é das mais antigas da cerca medieval, sendo o primeiro registo conhecido de meados do século XIV. Esta antiga porta foi tapada em data posterior a 1806 e reaberta em 1967. A nova porta de Avis, foi aberta em 1804, como se confirma pela inscrição em mármore existente no seu exterior.

No vão do arco primitivo estiveram pintadas a fresco, em tamanho natural, as figuras de S. Sebastião, Santo António, Nossa Senhora do Espinheiro e a cena da Fuga do Egipto e subjacente, cerca de 1482, segundo a tradição, foi fundada a ermida de N.ª Sr.ª do Ó, que sofreram danos irreparáveis provocados pelos bombardeamentos à cidade durante os assédios 1663. A ermida foi refeita em 1768 e recebeu melhorias em 1804 e apresenta características populares.

Igreja e Convento de S. José - Convento Novo

Igreja e Convento de S. José - Convento Novo

Construídos entre 1720-33, assenta em adro de escadaria granítica, merecendo destaque a portaria e a fachada do templo, rasgados por portais de interessantes ornatos barrocos, edículos e cartelas de volutas com enrolamentos, também de pedra regional.

Igreja estilo barroco-rococó, tem a nave revestida de silhares e azulejos historiados da Vida de S. José, cúpula pintada, altares, cruzeiros e presbitério de talha dourada. Na capela-mor existe o túmulo em mármore do padroeiro cónego António Rosado Bravo.

Também se destaca o claustro com a fonte de mármore, de duas taças circulares e gárgulas zoomórficas e quatro oratórios de portas pintadas e forro azulejar.

Igreja e Convento de Santa Helena do Monte do Calvário

Igreja e Convento de Santa Helena do Monte do Calvário

Fundados em 1570, pela Infanta D. Maria de Portugal, junto da Ermida da Vera Cruz, a eles estão ligadas histórias de evocação poética como a Sempre Noiva, o Bichinho de Conta, o Sino da fome, e a tradicional doçaria conventual.

A sua planta deve-se ao arq. Afonso Álvares e a direcção das obras ao mestre Mateus Neto, e apresenta linhas arquitectónicas de orientação tridentina da contra reforma. No convento destaca-se o claustro, a sala do capítulo, o refeitório, e o coro-alto com cadeiral esculpido e madeira de carvalho (rococó).

A igreja tem uma nave de planta rectangular, com abóbada de caixotões geométricos e nas paredes salienta-se os painéis de azulejos, o retábulo de talha dourada e pinturas maneiristas.

RSS
123456